Muito obrigado pelo contato!

Agradecemos sua mensagem. Em breve responderemos.

Desenvolvimento Pessoal | 29.07.2019

Propósito: Você tem um?

"Não é um notável talento o que se exige para assegurar o êxito em qualquer empreendimento, mas sim um firme propósito". Thomas Atkinson

Por Luciana Costa Soares

Há alguns dias venho pensando neste tema: Propósito. Aliás, estava começando a gravar um vídeo quando recebi a notícia de um trágico acidente com o esposo da minha cunhada. Larguei tudo o que estava fazendo e fomos ao encontro da família para apoiar aquele que é um dos momentos mais difíceis para as pessoas, perder um ente querido. Foram quase dois dias de uma imersão profunda sobre o tema. Acredito que mesmo que eu tivesse lido o melhor livro sobre o assunto, esse não teria feito tanto sentido sobre o que é viver uma vida com propósito, pois a pessoa que estava sendo velado, apesar dos seus 49 anos, tinha tido um propósito incrível que era de ajudar as pessoas, e que fez isto de uma forma intensa e feliz. A cada depoimento dado pelos grupos dos quais ele fazia parte era possível perceber que cumpriu o propósito e missão dada a ele como pessoa e nos mais diversos papéis que tinha, os quais não eram poucos. Papel de pai, de filho, de esposo, de amigo, de profissional, de cidadão, deixando assim um grande legado. 

Sergio Chaia define propósito como “a forma pela qual você quer ser lembrado”. Um jeito de construir a própria biografia com um propósito pode ser possível se primeiro conhecermos nossos próprios talentos. O que eu faço muito bem? Com que dons eu nasci? Não importa quais são estes dons: cozinhar, organizar coisas, orientar carreiras, dar palestra, costurar, ensinar um idioma. Depois de definidos, podemos pensar em como colocar estes dons a serviço de pessoas que precisam. Não uma vez na vida, mas como parte da nossa rotina.

Já Napolean Hill,  em sua análise no livro "As 16 Leis do Sucesso", constatou que 95% das pessoas não possuíam um propósito definido e que a maioria não alcançam resultados satisfatórios, pois estavam envolvidas com alguma coisa, atividade ou trabalho do qual não gostavam. 

Qual é o problema? Por que um número tão grande de pessoas nunca decide o que verdadeiramente deseja da vida?

Ele cita neste mesmo livro as "forças", que constituem a natureza humana e que estão divididas em quatro vertentes:

1 - Física - A natureza física representa nosso talento natural. Talento é a habilidade que temos de desenvolver certa atividade com uma facilidade maior que as outras. Por isto leve em conta seu talento natural e estabeleça seu propósito sobre este talento.

2 - Emocional - A natureza emocional é a nossa paixão. Ela é o fogo, o entusiamo, a coragem que sentimos por fazer, o tempo todo, o que gostamos, enquanto desenvolvemos o sentido maior de nossa vida: nosso talento natural.

3 - Espiritual - A natureza espiritual é o que dá sentido e uma dimensão maior ao que fazemos. A magia que resulta da prática do talento e do fogo da paixão envolve nossa vida em uma aura fascinante, mas que , com o tempo, pode se tornar vazia de sentido. Por isso, além do talento e da paixão, você precisa considerar o sentido por detrás do seu propósito.

4 - Intelectual - Por último, mas não menos importante, vem a natureza intelectual, isto é, a razão. Ela nos dá a visão de como podemos transformar nosso propósito, baseado no nosso talento, paixão e sentido em renda. Afinal de contas, todos desejamos (e precisamos) de renda para suprir nossas atividades.

Um brasileiro que nos lembra muito bem o que é viver uma vida com Propósito é Ayrton Senna , piloto brasileiro de Fórmula 1, três vezes campeão mundial, nos anos de 1988, 1990 e 1991. Foi também vice-campeão no controverso campeonato de 1989 e em 1993. Sua morte, assim como o funeral e velório, provocou uma das maiores comoções da história do Brasil, bem como repercussão mundial.

O exemplo de Airton Senna têm muito a nos ensinar. Ele não apenas vivia por viver. Ele tinha uma razão para viver, que transcendia sua própria vida. Senna estava sempre em busca de explorar os limites do corpo humano e da engenharia mecânica, perseguindo a perfeição em cada curva e cada ultrapassagem que fazia em seu carro de Fórmula 1.

Resumindo: há alguma tarefa ou atividade que você sabe fazer melhor do que outra pessoa. Você precisa descobrir qual é está atividade. Depois, descobrir onde, nesta atividade, está sua maior paixão e construir sobre ela o objeto do seu propósito definido. Lembrando que cada pessoa tem um propósito, e que ele não deve ser comparado com o de outra pessoa, pois ai já muda o nome, passará a ser chamado de meta, objetivo  e até ego. Mas nunca um propósito.

Luciana Costa Soares é Administradora, especialista em Gestão Educacional, Mestre em Desenvolvimento, apaixonada por temas que tenham a ver com autoconhecimento, desenvolvimento pessoal e humano. Atualmente é diretora da Constante Consultoria e Negócios, em seus treinamentos sempre fala que quer causar um desconforto para que as pessoas busquem seu Propósito e sejam felizes. Mãe dos adolescentes Raphael e Eduardo e do pet Rock.

Notícias relacionadas

Desenvolvimento Pessoal | 24.06.2019
Zona de Conforto: 3 razões para sair de lá!